Arquivo da tag: SP

HOLI – Festival das Cores

No último sábado, dia 28, aconteceu no Parque Villa Lobos o Holi (Festival da Cores), um festival milenar nascido na Índia que acontece anualmente para celebrar a entrada da Primavera ♥

Ao som de boa música com Soul Shakers, Bloco Kaya na Gandaia, Jam Session Verdi e Goldfish, e embaixo de um céu incrível, atiramos tinta colorida em pó uns nos outros, celebrando a harmonia e saudando com boa energia a estação que acabou de chegar. Foi demais!

holi_01

holi_02

holi_16

holi_03

holi_04

holi_05

holi_06

holi_07

holi_08

holi_09

holi_10

holi_11

holi_12

holi_13

holi_15

holi_17

holi_18

E olha só o vídeo lindo que o coletivo Los Cabras fez para o Levo na Mochila (duas equipes super talentosas!) mostrando como foi o festival (:

Trigésima Bienal [parte 2]

Continuando o post sobre a 30ª Bienal de Arte de São Paulo – A iminência das poéticas, aqui mais algumas obras que eu gostei… Claro que tem muito mais para ver, então não percam a oportunidade de visitar.

Ah! E para quem não sabe como chegar, no Terminal Ana Rosa tem uma linha de ônibus exclusiva para o Parque do Ibirapuera que custa R$3,00 e aceita Bilhete Único.

Trigésima Bienal de Arte de São Paulo – até 9/12
Pavilhão da Bienal: Parque do Ibirapuera – Portão 3
Ter, qui, sáb e dom das 9h às 19h; qua e sex das 9h às 22h – Entrada gratuita

[Parte 1]

Trigésima Bienal [parte 1]

Já faz um tempo que eu visitei a 30ª Bienal de Arte, mas a correria foi tanta que só consegui parar para selecionar fotos agora, afinal são muuuitas!

Nessa edição, a Bienal conta com cerca de 3 mil obras de 111 artistas e assume o título A iminência das poéticas, procurando instaurar-se como uma plataforma de encontro para a diversidade das poéticas e se manifestando em forma de constelação, permitindo o agrupamento de obras e artistas que conversam entre si.

Além da exposição principal no Pavilhão Ciccillo Matarazzo (Bienal – Parque do Ibirapuera) podemos encontrar obras expostas em outros locais do espaço urbano: Museu da Cidade (Casa Modernista, Casa do Bandeirante e Capela do Morumbi), Masp, Instituto Tomie Ohtake, intervenções em pontos como a Avenida Paulista e a Estação da Luz, entre outros… Sim, essa Bienal está enorme!

Aqui algumas fotos que tirei na minha visita. Vou deixar outras para o próximo post, assim não fica massante e consigo mostrar algumas outras obras que gostei ;]

Trigésima Bienal de Arte de São Paulo – até 9/12
Pavilhão da Bienal: Parque do Ibirapuera – Portão 3
Ter, qui, sáb e dom das 9h às 19h; qua e sex das 9h às 22h – Entrada gratuita

[Parte 2]

Cervejaria Heineken

Sábado fui com amigos e blogueiros, a convite da Burson-Marsteller Brasil, conhecer a fábrica da Heineken, em Jacareí – SP. Infelizmente não podia fotografar na parte interna, mas aprendemos como as cervejas são feitas, vimos ao vivo, saboreamos e descobrimos os segredos de algumas delas ;}

A Heineken é holandesa e é a marca de cerveja premium mais internacional e valiosa do mundo. Ela está presente em quase todos os países (são 140 cervejarias pelo mundo, 8 no Brasil) e foi trazida pra cá pela Coca-Cola há algumas décadas.  Em 2010 o grupo Heineken Brouwerijen B.V. de Amsterdã comprou a FEMSA, marca mexicana dona da Kaiser, Bavaria, Sol e Xingu no Brasil e importadora das gringas Dos Equis, Murphy’s, Birra Moretti, Edelweiss, a novidade Desperados (cerveja com tequila) e outras.

A cerveja chegou no Brasil em 1808 a mando de Dom João VI (sim, aquele das coxinhas de frango), mas existe desde um acidente com pão e água na Suméria em 4000 a.C. e, claro, sofreu muitas alterações até se tornar o que é hoje. Em 1040, na Europa, junto da água e do malte foi adicionado o lúpulo, e é a ele que devemos agradecer pela nossa deliciosa cerveja de cada dia (oi?).

E já que a graça da bebida é saborear e se satisfazer, a moderação não pode ser esquecida. Consumo responsável é o mais importante!

Saúde! :D