Arquivo da tag: arte

Eeveelutions as Goddesses

A canadense Nikkie Stinchcombe fez sua tese da faculdade de Artes sobre as mulheres da mitologia, mais precisamente sobre a figura da deusa e sua representação e simbolismo em culturas antigas. Mantendo a mesma base, passou a ilustrar e a “endeusar” referências do mundo pop, se inspirando em vídeo-games, quadrinhos, pin-up, moda, art déco e burlesco.

Lembrando um pouco os croquis de alta costura, Nikkie fez uma releitura das evoluções do pokémon Eevee, o único com 8 possibilidades de evolução (mesmo que a escolha seja feita pelo seu treinador e não pelo próprio pokemonzinho).

Na ordem: Eevee, Vaporeon, Jolteon, Flareon, Umbreon e Espeon juntos, Leafeon, Glaceon e Sylveon. Veja mais trabalhos da ilustradora em seu site.

FILE 2016

Não é a primeira vez (nem será a última!) que eu falo do FILE aqui no blog. O Festival Internacional de Linguagem Eletrônica está cada vez mais incrível, a chamada dessa edição é “venha passar do limite”, como um convite para “destrancar a porta dos sentidos”.

Uma mistura de arte eletrônica com arte contemporânea que driblam os limites estéticos e combinam o espaço real com o espaço virtual, no design, no game, na animação e na arte. A interação e contemplação das obras ampliam nossa mente e fazem com que nossa imaginação vá além de seu limite. Demais!

Enquanto visitei a exposição pude constar que as instalações mais concorridas são a The Indivisible [Prototype nº 1], um mural digital super colorido que todos querem fotografar, e a Tape São Paulo, uma espécie de túnel em formato orgânico feito com fitas adesivas em que o público pode passear por dentro dele, mas eu não consegui ir porque fechou antes, então só fotografei por fora ):

FILE 2016 – até 28/08
Centro Cultural FIESP: Av. Paulista, 1313
Todos os dias, das 10h às 20h – Entrada gratuita

Frida Kahlo – Conexões entre mulheres surrealistas no México

Eu visitei a exposição no Instituto Tomie Ohtake já faz algum tempo, mas só levei o celular e estava, até então, com frescura de usar essas fotos… Enfim, faltando um mês para acabar, tomei coragem de postar, então vamos lá!

A exposição conta com obras de 15 artistas vinculadas ao surrealismo, entre elas mexicanas, estrangeiras radicadas no México e interessadas na cultura, que no passado eram conhecidas como “esposas” desse ou daquele artista, agora elas são as protagonistas e podemos apreciar seu legado.

Todas as obras são demais, a maior parte das artistas eu não conhecia e me encantei, mas confesso que dei prioridade por registrar (e contemplar com maior vontade) as obras da Frida (juro que não sou poser, sou só muito fã mesmo). Além de seus famosos autorretratos, também temos acesso aos seus rascunhos, fotografias, estudos, páginas de seu diário e suas roupas.

Vale a visita para ver tudo de perto e para conhecer obras que giram em torno de Frida Kahlo, mas feitas por outras mulheres tão talentosas quanto ela.

Frida Kahlo – Conexões entre mulheres surrealistas no México
Instituto Tomie Ohtake: Avenida Faria Lima, 201
(Entrada pela Rua dos Coropés) – Pinheiros
Até 10/janeiro – ter. a dom., das 11h às 20h – R$10,00 (R$5,00 meia-entrada)
Grátis às terças-feiras mediante retirada de senhas na bilheteria

Exposição Ron Mueck

Nove obras do aclamado Ron Mueck estão disponíveis para visitação na Pinacoteca, entre elas três inéditas. O artista australiano é conhecido por suas esculturas de figuras humanas extremamente parecidas com a realidade, mas sempre maiores ou menores que uma pessoa real.

“Eu nunca faço figuras em tamanho real, porque nunca me pareceu interessante. Nós conhecemos pessoas de tamanho real todos os dias”

Cada detalhe é produzido com perfeição, cada unha, pelo, veia… Suas figuras parecem estar congeladas em uma situação banal do cotidiano e suas expressões faciais são misteriosas, estimulando a nossa imaginação sobre elas. É realmente difícil de descrever o que sentimos ao olhar para essas obras incríveis.

Ron Mueck – até 22/02/2015
Pinacoteca do Estado de São Paulo: Praça da Luz, 2 – Centro
De terça a domingo, das 10h às 18h; quinta das 10h às 22h – R$ 6,00

ReSPecT Festival

Demorei mas voltei (: e voltei com fotos de um evento que fui em Monte Mor (SP) nesse último fim de semana, o festival Respect YourSelf.

RESPECT é um Encontro Multicultural e Ecológico espelhado nos melhores festivais de Arte e Cultura Alternativa do Planeta” e o vento promove “respeitar a si mesmo”, pois todos possuímos elementos físicos, energias sutis e a grande força evolutiva, assim como as plantas, os animais, os oceanos, as estrelas e as galáxias, que transforma o Universo e é a partir do indivíduo que se evolui o coletivo e faz do mundo em um lugar melhor. Sim, é clichê, mas é lindo!

No festival vi muito artesanato, pinturas, performances, dancei música eletrônica que rolou na tenda principal e vários outros estilos musicais no chill out, deitei na grama, vi tantas estrelas no céu limpo (pena que a camerazinha não conseguiu captar), vi o sol nascer enrolada no saco de dormir e dormi na beira do lago… Nada como fugir do terror da cidade grande por algumas horas e celebrar a vida, liberdade, paz e união! ;D

❀ ✿ ❀ ✿ ❀

Os Gemeos – A Ópera da Lua

Uma das exposições mais concorridas aqui em São Paulo é A Ópera da Lua, d’Os Gemeos. Fiquei na fila por um tempo e quase não consegui entrar, pois a entrada só é permitida até 30 minutos antes do fechamento do galpão e a fila se encerra com uma hora e meia de antecedência… foi difícil, mas valeu.

A mostra é dividida em três salas e reúne cerca de trinta pinturas, esculturas e uma vídeo-instalação. Em sua maioria inéditas, as obras trazem a multiplicidade de técnicas que os dois usam em seus trabalhos: o graffiti, os desenhos, as pinturas em murais e a paleta multicolorida, além dos personagens singulares de cor amarela imediatamente reconhecíveis.

A dupla Os Gemeos é formada pelos irmãos (gêmeos) Otávio e Gustavo Pandolfo, de São Paulo, onde vivem e trabalham. Já participaram de diversas exposições importantes pelo mundo e figuram entre os artistas mais renomados do Brasil.

Cheio de cores, detalhes, padrões e riqueza artística, é quase impossível acompanhar o mundo imaginário criado pelos Gemeos, que desde 2010 não apresentam uma exposição tão significativa em São Paulo. Eu trouxe o máximo que pude para o blog, mas vale muito a pena visitar A Ópera da Lua!

aoperadalua_01

aoperadalua_02

aoperadalua_03

aoperadalua_04

aoperadalua_05

aoperadalua_06

aoperadalua_07

aoperadalua_08

aoperadalua_09

aoperadalua_10

aoperadalua_11

aoperadalua_12

aoperadalua_13

aoperadalua_14

aoperadalua_15

aoperadalua_16

aoperadalua_17

aoperadalua_18

aoperadalua_19

aoperadalua_20

aoperadalua_21

aoperadalua_22

A Ópera da Lua – até 16 de agosto
Galeria Fortes Vilaça: Rua James Holland, 71 – Barra Funda – SP
De terça à sexta das 10h às 19h; sábados das 10h às 18h – Entrada franca

Jardim Secreto na Casa Bartira

No último fim de semana (de sexta a domingo) rolou a 4ª edição do Jardim Secreto, uma feira de arte e moda que propõe a busca de um frescor, um oásis por entre o concreto dessa cidade tão cinza: a busca pelos jardins escondidos por São Paulo.

Durante os três dias o evento esteve na Casa Bartira, um empório de cervejas artesanais e espaço cultural que fica em Perdizes, e contou com delícias mexicanas, sangria espanhola, oficina de terrários e arranjos, sessão de tatuagens flash com Adriana Marto e Rodrigo Ribeiro, bazar e feirinha  com decoração, roupas e acessórios de marcas lindas como Tramp Gramma, Philadelphia Co., Wild Style e Conta Gota, entre outras.

jardim_secreto_bartira_01

jardim_secreto_bartira_02

jardim_secreto_bartira_03

jardim_secreto_bartira_04

jardim_secreto_bartira_05

jardim_secreto_bartira_06

jardim_secreto_bartira_07

jardim_secreto_bartira_09

jardim_secreto_bartira_10

jardim_secreto_bartira_11

jardim_secreto_bartira_12

jardim_secreto_bartira_13

jardim_secreto_bartira_14

jardim_secreto_bartira_15

jardim_secreto_bartira_16

jardim_secreto_bartira_17

jardim_secreto_bartira_18

jardim_secreto_bartira_19

E já aguardamos ansiosamente pelo próximo!

Yayoi Kusama: Obsessão Infinita

Depois de passar pelo Rio de Janeiro e Brasília, a exposição “Yayoi Kusama: Obsessão Infinita” chegou em São Paulo, com aproximadamente cem obras – realizadas entre 1949 a 2012 – e traça toda a trajetória da artista do privado ao público, do ateliê às ruas…

Yayoi Kusama é uma artista japonesa de 85 anos, uma das mais significativas da contemporaneidade, e famosa principalmente por suas obras com bolinhas coloridas. Desde 1977 Yayoi mora em um hospital psiquiátrico de Tóquio, pois sofre alucinações desde a adolescência, sendo uma delas permanente: ver o mundo sempre coberto por bolinhas.

Na mostra vemos pinturas, fotografias, cartas e documentos e muitas instalações, como: “Fireflies on the Water”, uma sala toda espelhada e cheia de lâmpadas penduradas que piscam e mudam de cor (mostrei no Instagram), incrível!; Infinity Mirror Room – Phalli’s Field, uma sala espelhada com tecidos estufados com estampa de bolinhas pelo chão e em formas fálicas, um dos exemplos da sua “obsessão sexual”; “Dots Obsession”, são gigantes esferas suspensas e cheias de bolinhas.

Fui com a Oppa conferir tudo ontem, na abertura da exposição… e por que com a Oppa? Porque os produtos da marca são suportes para duas das instalações mais concorridas, a “I’m here, but nothing” (um espaço que imita uma casa, com luz negra e bolinhas coloridas projetadas) e a “Obliteration Room” (interativa, também imita uma casa, toda branca – como uma tela – em que os visitantes ganham adesivos de bolinhas coloridas para colarem onde quiserem e fica em constante mutação até o final da exposição). Demais!

yayoi_kusama_01

yayoi_kusama_02

yayoi_kusama_03

yayoi_kusama_04

yayoi_kusama_05

yayoi_kusama_06

yayoi_kusama_07

yayoi_kusama_08

yayoi_kusama_09

yayoi_kusama_10

yayoi_kusama_11

yayoi_kusama_12

yayoi_kusama_13

yayoi_kusama_14

yayoi_kusama_15

yayoi_kusama_16

yayoi_kusama_17

yayoi_kusama_18

yayoi_kusama_19

yayoi_kusama_20

yayoi_kusama_21

Instituto Tomie Ohtake: Avenida Faria Lima, 201
(Entrada pela Rua dos Coropés) – Pinheiros
Até 27/julho – ter. a dom., das 11h às 20h – entrada franca

Augusta Arts

Inaugurou dia 1 de maio a Augusta Arts, uma nova galeria que une em um único espaço o que há de mais novo em moda, acessórios, gastronomia, design e handcraft, claro, na Rua Augusta. E eu fui a convite da loja Mustache S/A visitar o espaço em sua estréia com coquetel e showzinho, uiuiui ;D

O lugar é lindo, os frequentadores podem encontrar marcas já famosas pela região e muitas novas que estão se lançando no mercado. Como a própria Mustache S/A, que já tinha sua loja online, agora está na Augusta Arts com suas lindas peças de inverno criadas pelas amigas Mayara, Thalita e Mariana. Obrigada pelo convite meninas, adorei!

Também conheci a Colorado, marca de eyewear que já tem quatro anos, experimentei alguns modelos e achei tudo ótimo, lindo e resistente! A marca feminina A Amoreira também me encantou, a Vivi, dona e estilista, contou que estava estreando e que as peças são super exclusivas!

A Monstro Coisa foi a que mais me deixou babando por motivos de: sou louca por monstrinhos de pelúcia!! As bonecas eram super charmosas e tinha até luminária-monstro ❤ Já a Bendita Augusta não era estreante, mas é tão amada quanto as anteriores. Suas camisetas são lindas e já fazem um super sucesso pelas bandas da Avenida Paulista.

Ah, e além das compras a galera pode tomar uns drinks, encontrar os amigos e apreciar arte – estava rolando uma mini exposição do INNER multi.gallery, com obras dos artistas XguiX, Hélio Marquess (Banais), Rafael Shine e Leiga.

AugustaArts_01

AugustaArts_02

AugustaArts_03

AugustaArts_04

AugustaArts_05

AugustaArts_07

AugustaArts_08

AugustaArts_09

AugustaArts_10

AugustaArts_11

AugustaArts_12

AugustaArts_14

AugustaArts_15

AugustaArts_17

AugustaArts_19

AugustaArts_20

AugustaArts_21

AugustaArts_22

AugustaArts_23

AugustaArts_24

AugustaArts_25

AugustaArts_26

Post loooongo para mostrar o máximo ;D

Augusta Arts: Rua Augusta, 1283 – Consolação – SP

SPFW Ver’15 – Lina Bo Bardi

Nessa 37ª edição da SPFW, a revista ELLE montou em seu lounge uma homenagem ao centenário da arquiteta Lina Bo Bardi. A exposição “Lina Bo Bardi De Fio a Fio” conta com roupas originais e 32 fotos de desenhos e croquis.

São figurinos de teatro criados pela arquiteta, entre eles Calígula, Ubu e Na Selva das Cidades, registros de seus métodos de criação e seu conteúdo poético, tudo com a curadoria de Waldick Jatobá. O espaço foi desenvolvido baseado em alguns conceitos de arquitetura e cenografia utilizados por Lina.

A mostra esteve aberta ao público no espaço durante toda semana de moda paulistana e também poderá ser visitada no Fashion Rio, que começa hoje e vai até 11 de abril na Marina da Glória.

SPFW_linabobardi_01

SPFW_linabobardi_02

SPFW_linabobardi_03

SPFW_linabobardi_04

SPFW_linabobardi_05

SPFW_linabobardi_06

SPFW_linabobardi_07