Arquivo da tag: amor

DEZANOS

Ontem eu e o Psy comemoramos nossos dez anos juntos. DEZ ANOS! :D

Éramos duas “crianças” quando tudo começou, mesmo com as responsabilidades da vida, afinal o que a gente sabia de fato sobre o mundo? Nada! Naquela época eu não pensava em “felizes para sempre”, mas eu tinha certeza de que a nossa relação mudaria minha vida. E mudou.

Enfrentamos juntos cada obstáculo que a imaturidade colocou na nossa frente, assim crescemos, aprendemos e hoje eu sei que é eterno. Meu eterno companheiro, meu amigo, meu amor.

Nós nos completamos em tudo e não tem como falar de um sem pensar no outro. Uma vez eu li sobre “amor que soma” e é bem isso: é ótimo quando duas pessoas dividem tudo, mas é melhor ainda quando elas somam. É o que a gente faz, somos duas pessoas diferentes e somamos um na vida do outro.

São dez anos somando.

São dez anos de intimidade extrema (sim, aquelas situações que a maioria odeia, pra gente são as coisas mais normais do mundo). São dez anos de coceguinhas e risadas, mas chorou-parou! Dez anos inventando palavras e adjetivos pras coisas do dia a dia, mas só pra quem é beicinho (bonzinho/boazinha) [?]. Dez anos usando atalhos de emoticon do MSN, porque: “olha que legal: ‘M+C=(L)²’ é a gente”. Dez anos mudando de opinião e ajudando a tomar decisões importantes, porque eu realmente não sei se gosto ou não do Shinji (Evangelion). Dez anos brigando pelos mesmos motivos, porque mania cada um tem a sua e a gente tenta, mas é difícil controlar/aceitar. E dez anos seguindo em frente, porque companheirismo, aprendizado e amor são o que nos faz crescer e de nada adianta lutar e ficar parado no mesmo lugar.

Eu te amo demais e ainda temos um longo caminho para percorrer.

Feliz dez anos!

M+C=(L)²

Igualdade LGBT

Sendo uma das maiores manifestações sócio-político-cultural da história do Brasil, a Parada do Orgulho LGBT comemorou ontem, 26 de junho, sua 15ª edição e contou com a presença de aproximadamente 4 milhões de pessoas (quantidade que aumenta a cada ano).

A convite da Big Universo, fui com a Ale curtir a Parada, claro que pra quem está em cima do trio “a coisa é diferente” (não fico satisfeita de ver o lixo que muita gente joga pelo chão, certas pessoas que assimilam homossexualismo à putaria e outras que aproveitam para arrumar confusão ou roubar – por isso não ia há anos), mas o fato é que a maioria dos que estão ali se divertem e defendem o mesmo ideal de igualdade e respeito ao próximo.

O objetivo principal da Parada é acabar com a homofobia e criar políticas públicas para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), ocupando espaço nas ruas e sensibilizando a sociedade para o convívio com as diferenças, que para mim nada mais é do que igualdade de direitos. É também o momento de comemoração pelas conquistas e pelo avanço, além de uma maneira alegre e irreverente de reivindicar por um país mais justo e igualitário.

Por que gostar de alguém do mesmo sexo, ou dos dois sexos, ou querer ser de outro sexo é errado? Liberdade de escolha, todos tem esse direito, assim como cabe a todos o dever de respeitar.

Foi em casa que aprendi sobre respeito e discriminação e sou muito grata por ter pais “mente aberta” (infelizmente não é algo tão comum), mas se todos se conscientizassem e passassem isso para seus filhos, talvez a intolerância fosse diminuindo com o tempo (eu sei que mudar a cabeça de pessoas mais velhas não é fácil, então vamos pensar nos futuros pais, ok?!).

E, apesar da chuva, a parada estava linda e o trio estava incrível! :D

Fotos: Marilia Sestari