FILE 2017 – O borbulhar de universos

Ao entrar na galeria de arte demos de cara com enormes bolhas de sabão passeando pelo ambiente e feitas por sons de três buzinas. É a Black Hole Horizon, primeira obra que vemos na 18ª edição do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (FILE) e que transforma o som em objetos tridimensionais mantendo o espaço em constante transformação.

Este ano o FILE tem como tema “O borbulhar de universos” e convida os visitantes a experimentar e refletir sobre novos e antigos conceitos, não apenas com os olhos, mas com todos os sentidos, em universos borbulhando em cores, sons e texturas. São 360 obras, produzidos por 339 artistas estrangeiros e 18 brasileiros, entre elas estão instalações interativas, jogos eletrônicos, animações, projeções, gifs, vídeos e sonoridades eletrônicas.

Uma das que mais chamam atenção e forma fila para experimentar é a Physical Mind, que explora realmente a relação entre o físico e o mental do participante. A pessoa deita entre dois objetos infláveis, é erguida e comprimida suavemente entre as curvas dos dois objetos, assim a obra explora a dualidade entre o desconforto e estresse gerado pela instabilidade inicial e o conforto e sensação de acolhimento provocado pelo contato com os infláveis.

Com tantas redes e tantas informações, estamos todos envolvidos em um fluxo incessante de conceitos, imagens, opiniões e desejos. Estamos inflando e a qualquer momento podemos explodir. Estamos borbulhando! Os mundos e tendências são infinitos, o universo ficou pequeno diante do multiverso. É o borbulhar de universos. Aproveite, o FILE sempre vale a visita ;]

FILE 2017 – até 03/09
Centro Cultural FIESP: Av. Paulista, 1313
Todos os dias, das 10h às 20h – Entrada gratuita

One Response to FILE 2017 – O borbulhar de universos

  1. Maravilhoso Marilia! Amei o conceito da Physical Mind, tomara que a expo venha para o Rio. Beijo, beijo :*

Gostou? Deixe um comentário (: